terça-feira, 15 de agosto de 2017

Faz-me mais grato a Ti, Senhor

Às vezes tudo o que sabemos fazer é reclamar e murmurar da vida, dos problemas do dia a dia, da família, das dificuldades, e de uma infinidade de outras coisas. Quase nunca estamos contentes e satisfeitos com o que temos, ou então queremos ter o que não precisamos. A verdade é que toda essa insatisfação e descontentamento, infelizmente, move o nosso lado interesseiro e nos leva a ir a Deus somente para pedir-Lhe coias, no entanto, ignoramos o fato de que Deus não é nosso servo e não tem absolutamente nenhuma obrigação de satisfazer os nossos desejos nem necessidades.

Não quero que essa afirmação te leve a duvidar da bondade de Deus, pois sim, Deus é infinitamente bom e a bondade é um dos seus muitos atributos. Mas não é porque é bondoso que Ele nos dará tudo o que queremos.  Seremos mais felizes se deixarmos de lado o nosso querer para nos submetermos a agradável e perfeita vontade do Senhor,  nos contentando com a Sua presença e sendo agradecidos por seu amor e misericórdia em todo tempo e em todas as circunstâncias. 

A grande maioria das pessoas manifesta sua gratidão ao Senhor apenas quando alcançam algo que tanto queriam, quando não, sentem raiva e insatisfação.  Mas os verdadeiros cristãos, que amam de verdade a Deus, manifestam sua gratidão não apenas quando sua oração é atendida ou apenas em circunstancias felizes da vida, mas também na hora da dificuldade e tribulação, pois sabe que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus. (Romanos 8.28)


O cristão sabe que ter tudo (bens materiais, dinheiro,etc) não é sinônimo de felicidade, se fosse assim, por que muitos ricos são melancólicos, infelizes e depressivos? Muitos têm tudo, mas ao mesmo tempo não tem nada, porque sem Cristo, nada vale a pena. Diferentemente, nós, eleitos de Deus, não precisamos de muita coisa para ser felizes e gratos. Mesmo  que não gozemos de muita saúde; mesmo que nossas condições sejam poucas, ainda assim nos alegramos porque temos o maior Tesouro que é Jesus. Muitas coisas Ele tem feito por nós, por isso, a nossa gratidão precisa ser manifesta em todo tempo.


''Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?'' (Salmos 116.12)


Deus já nos deu mais que o suficiente, na verdade, Ele próprio é suficiente para nós. Ele nos basta, a graça d'Ele nos basta (2 Coríntios 12.9)! Ele nos salvou nos resgatou das trevas e nos deu direito de sermos chamados seus filhos (João 1.12). E Ele fez isso por sua livre e soberana vontade (Efésios 1.5), pois não tinha nenhuma obrigação de nos salvar e nem nos dar nada, portanto, toda a glória seja dada eternamente a Ele por sua imensa bondade, graça, e também pela grande salvação que nos deu.

A verdade é que a grande maioria dos crentes é tão indiferente a isso que nem mesmo se importam em agradecer ao Senhor por esse grande presente que é a nossa salvação, isso é porque não entendem o quão terrível era o seu estado. Antes de sermos chamados por Cristo, estávamos separados de Deus por causa do pecado, estávamos condenados e debaixo da ira de Deus; merecíamos o castigo e a condenação eterna; mas Cristo, o Unigênito do Pai, se ofereceu a morrer por nós. Ele morreu a nossa morte, levou sobre si os nossos pecados, foi ferido e moído pelas nossas transgressões (Isaías 53.5), e por suas pisaduras fomos sarados. Por causa do que Ele fez fomos reconciliados com Deus e, agora, podemos nos achegar ao trono da graça com confiança. (Hebreus 4.16). 

Será que isso não motivo suficiente para sermos mais que gratos? Saiba que não foi pequeno o que Deus fez por nós, portanto, seja grato por isso e contente-se com o que Ele já te deu! O que temos ou o que deixamos de ter não se compara ao que Ele nos deu gratuitamente.

Em todo tempo temos de lembrar o que o Senhor fez por nós; precisamos nos lembrar de onde Ele nos tirou ''...de um poço de perdição, de um tremedal de lama''  (Salmos 40.2); Ele colocou os nossos pés sobre uma rocha e firmou os nossos passos.  O que mais Ele fez graciosamente por nós? Transportou-nos das trevas para o reino do seu Filho amado (Colossenses 1.13). 

Isso já é o bastante para nos motivar a agradecê-lo, em todo tempo. 

Quando se entende que não merecíamos nada disso, que nada de bom havia em nós para que Deus nos escolhesse (Salmos 14.2; Romanos 3.10, 11), e que não existe nada bom em nós que tenha atraído o amor d'Ele a nósa nossa atitude muda, e então, não paramos de agradecer um só instante ao Senhor por todos os benefícios que nos deu. 

Seja sempre grato por fazer parte dos eleitos de Deus, daqueles que foram escolhidos para herdar a vida eterna. Seja grato.

Por fim, medite na letra desse louvor da Harpa Cristã, n° 370

- Priscila Gomes

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Pedir, Buscar, Bater

 
A oração continua é o segredo da vitória. Geralmente muitos irmãos desistem de orar por não verem suas orações respondias.  Mas pare um pouco e veja o que você tem pedido a Deus,  quais são suas reais motivações, a glória de Deus ou a sua própria glória? Quando oramos com a motivação errada certamente não seremos atendidos; quando pedimos coisas a Deus para as gastarmos em nosso próprio deleite e prazer, Deus não nos atenderá, pois estamos sendo egoístas.

‘’Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos próprios deleites’' (Tiago 4.3)

   Também não devemos ir a Deus somente para lhe pedir bênçãos, pelo contrário, devemos ter o prazer de ficar na presença de Deus só o adorando e agradecendo por tudo o que Ele tem realizado em nossa vida. Na vida do crente, a oração deve ser como o ar que respiramos, assim como não podemos viver sem fôlego, da mesma forma, não podemos viver sem oração. Como diz Matthew Henry: ''Enquanto continuarmos a viver, precisamos continuar orando''.

    Mesmo quando não vemos nossas orações atendidas da forma que queríamos, devemos dar graças a Deus, pois Ele, como Pai amoroso e onisciente, sabe muito bem o que é bom e o que não é para nós. Às vezes pedimos coisas a Deus pensando que aquilo a qual pedimos é algo bom quando na verdade não é; por isso Ele não nos atende. Se Deus nos desse tudo o que lhe pedimos, o que seria de nós? Por isso, toda glória seja dada ao nosso Pai celestial, Ele sim sabe o que é bom para seus filhos.

   Em Mateus 7.7-11, Jesus nos ensina a pedir, buscar e bater, ou seja, com isso Ele quer  nos dizer que temos que ser perseverantes e persistentes na oração, pois nosso Pai Celestial é bom. E sempre devemos orar com fé, crendo que receberemos aquilo que pedimos.

   É preciso entender que nem todas as nossas orações serão atendidas imediatamente, ainda que elas estejam de acordo com a vontade de Deus. É por isso que o Senhor nos diz para perseverar e continuar orando mesmo que a resposta ou orientação divina estejam demorando. Em Lucas 18, na parábola do juiz iniquo, Jesus nos ensina ‘’sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer’’ (Lucas 18.1).

   As Escrituras diz: ‘’E tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis’’. (Mateus 21.22)

   Esse versículo não significa que Deus vai nos dar tudo o que pedimos. Deus certamente nos atenderá somente se as nossas orações estiverem de pleno acordo com a Sua vontade. E somente aqueles tem a vida controlada pelo Santo Espírito de Deus oram conforme a vontade do Senhor.

   Deus promete que se nós perseverarmos em buscar, pedir e bater, receberemos o que o pedimos.
Nós somos maus, Deus é bom. Como diz a palavra “Se vos sendo maus sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que esta nos céus, dará bens aos que lhe pedirem”?

   Vejamos, nós somos totalmente depravados e pecadores, mesmo assim, pela graça de Deus, sabemos dar boas coisas aos "vossos filhos"; já Deus é totalmente amor, nele não há trevas e nem maldade, logo, Ele mais do que ninguém sabe dar boas coisas aos seus amados filhos. O salmista diz ’Porque o Senhor é um sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; não negará bem algum aos que andam em retidão’’. (Salmos 84.11).
Sim, Deus abençoa aqueles que andam em retidão, aqueles que andam segundo a Sua vontade.

   Mas que fique claro uma coisa, Deus não nos dará tudo que lhe pedimos, pois nem tudo o que pedimos temos necessidade; Ele nos dará aquilo que de fato necessitamos. Por isso, não devemos andar ansiosos por coisa alguma, pois antes de lhe pedirmos algo, Ele já sabe o que precisamos (Mateus 6.32). Sendo assim, devemos nos deleitar no Senhor sabendo que nele estamos de fato seguros. O fato de Ele saber o que necessitamos deve nos confortar, pois Ele jamais nos deixará desamparados.

   A oração deve ser um estilo de vida na vida de todo cristão. Gastar tempo em comunhão com Deus é imprescindível para o nosso crescimento e fortalecimento espiritual; o crente não pode subsistir de forma alguma sem a oração, pois é ela que nos mantem de pé.

   Em suas orações não priorize coisas materiais, pois elas um dia se desfarão visto que não são eternas, mas busque aquilo que é eterno. Portanto, ore, busque a Deus, peça a Ele graça para que você possa viver todos os dias da tua vida na presença dEle, em plena harmonia com seu Espirito; ore para que você possa crescer na graça e no conhecimento de Cristo Jesus;  ore pelo seu progresso espiritual, peça a Ele para que te ensine a viver de modo digno de Cristo e do Evangelho. Peça, bata, busque, e não desfaleça jamais.
Há muito o que falar sobre oração, mas por hoje é só.

‘’O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus’’. (Filipenses 4.19).

‘’Perseverai na oração, vigiando com ações de graças’’. (Colossenses 4.2)

‘’Orai sem cessar’’ (1Tessalonicenses 5.17)

‘’Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade’’. (Hebreus 4.16)


 A oração é um escudo para a alma, um sacrifício a Deus e um açoite para Satanás. 
   -Jonh Banyan

- Priscila Gomes 

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Cuide para o tempo excessivo na internet não te leve para longe de Deus

A internet é o meio de comunicação mais usado em todo o mundo. Há quem pense, erradamente, que a internet é uma das ferramentas do Diabo, mas, é claro que não. A internet é uma ferramenta excelente e útil que tem facilitado a vida de muita gente que não usufrui de muito tempo. 
Com a internet podemos pagar e fazer compras sem sair de casa; podemos enviar e-mails em questões de segundos e outras inúmeras coisas. Isso é muito bom, certamente.
A internet é um meio de comunicação onde todos nós podemos expressar nossas opiniões e ideias; podemos fazer pesquisas, procurar informações, etc. E além do mais, podemos buscar na internet informações que a TV muitas vezes não mostra, não é mesmo? Por isso ela é muito boa.
Mas é preciso ter cautela.

Gosto de comparar a internet a uma ferramenta nas mãos de um trabalhador. Um bom trabalhador certamente usará as suas ferramentas corretamente, utilizando-as para o fim para qual elas foram criadas. Entretanto, algumas ferramentas podem se tornar um grande perigo nas mãos de quem não sabe manuseá-las corretamente. Inúmeros acidentes graves já aconteceram com muitas pessoas por conta de manuseios incorretos de certas ferramentas; e sem falar daqueles que, malvadamente, já feriram e mataram pessoas e animais com ferramentas de trabalho, enfim - mas sem alguém que a manuseie, para o bem ou para o mal, a ferramenta em si não tem poder algum.
Então, assim como uma ferramenta é incapaz de se manusear sozinha, ou de fazer bem ou mal por si só, a internet também não tem esse poder.

Assim como há quem saiba fazer bom da web, há também quem não saiba usá-la; e por fazerem mau uso dessa ferramenta, além de pecar contra Deus, acabam gerando muitas dores, frustrações, tristezas e problemas para si próprio.

Evidentemente não é pouco o número de pessoas que usam a internet para fins impróprios como: visualizar fotos e vídeos pornográficos. Também tem aqueles que criam sites, blogs, etc. para incentivar os jovens à violência e ao crime. E sem falar daqueles amigos virtuais que mentem o tempo a respeito da sua verdadeira identidade, fingindo ser o que na realidade não são, com o intuito de tragar os mais ingênuos.

Muitos jovens cristãos, adolescentes e crianças hoje em dia têm passado mais tempo do que deveriam em frente de uma tela viciante de um computador ou celular. Há muitos ''sozinhos'' e ''carentes'' de amor buscando, sem pensar no grande perigo que correm, uma pessoa, um namorado (a) virtual para desabafar e contar tudo sobre sua vida íntima a um estranho e desconhecido. 

Com relação aos cristãos, o tempo que era para ser gasto, ou melhor, ganho, com a família e com os amigos reais (não com os virtuais), e também no estudo da palavra de Deus, tem sido trocado pelas altas horas na internet.
A realidade é que a internet tem roubado o tempo de muitas pessoas, tem viciado a muitos e, também, destruído inúmeros casamentos e famílias. A internet tem ocupado muitas mentes. Alguns vão trabalhar pensando na internet; outros vão para escola pensando em voltar logo para entrar na internet. Na verdade, com todo esse avanço tecnológico, muitos trabalham e estudam conectados na internet do celular. E assim continuam com a vida. Nada de novo; nada de bom. Só pensam em internet e redes sociais, internet e redes sociais.

A internet é boa? É sim, não tenhas dúvida.
Ela facilita a nossa vida? Sim, muito.
As redes sociais são boas? Sim, mas só para quem é moderado e para quem sabe usá-las de forma saudável.
Todavia, mesmo que seja tão importante para nós, ela não pode e não deve tomar todo o nosso tempo. Temos de investir tempo no Estudo das Escrituras e na companhia da nossa família, dos irmãos em Cristo, e não na rede. 
Nós cristãos, precisamos aprender a ser moderados. Moderados!

Faça o uso correto da internet; use-a, mas não abuse. Veja bem os sites que você acessa. Seus pais, seus irmãos, sua esposa, podem não saber o que você anda vendo na rede; eles podem até não saber com quem você anda se comunicando, mas saiba que nada escapa do olhar onisciente de Deus, e naquele grande dia, a luz irá revelar tudo o que você fez em oculto (Efésios 5:11-13), portanto, vigie, tema a Deus!
Um conselho: Invista o seu tempo em coisas que te edificarão e fortalecerão espiritualmente e não em coisas que aos poucos te afastarão de Deus.

‘’Tudo o que me impeça de chegar a Bíblia é meu inimigo, por mais inofensivo que pareça’’
-A.W.Tozer

- Priscila Gomes

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Posso todas as coisas naquele que me fortalece [O real significado

(Filipenses 4.11-13)
O que o apostolo Paulo efetivamente quis dizer com Posso todas as coisas naquele que me fortalece? É muito comum vermos alguns irmãos e até mesmo pregadores empregando essa frase de forma equivocada. Quando isolados versículos da palavra de Deus, não atentando para o seu contexto, a tendência é errarmos na interpretação do texto. Quando Paulo disse que podia todas as coisas naquele que o fortalecia, ele não estava querendo dizer que podia conquistar todas as coisas que quisesse ter. Vou explicar.

Mas antes, quero você saiba que quando a carta aos filipenses foi escrita, Paulo estava preso, talvez em Roma. O objetivo dele ao escrever essa epístola era: (1) agradecer aos irmãos filipenses por terem lhe ajudado com uma oferta especial, por meio de Epafrodito (Filipenses 2.25); (2) confortar os irmãos em relação às suas prisões e dizer o quanto suas prisões contribuíram para o avanço do evangelho (Filipenses 1.12);  (3) tentar resolver um certo problema de dissenção entre duas irmãs, Evódia e Síntique (Filipenses 4.2). Etc.. 

Pois bem, agora vamos ver o que realmente Paulo queria dizer quando disse Posso todas as coisas naquele que me fortalece. Vejamos o que ele disse antes de falar isso:

'‘... Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.
Posso todas as coisas em Cristo que me Fortalece. '' ( Filipenses 4.11-13)

O versículo acima era exatamente o que ele queria dizer. Note a parte sublinhada. Contentamento. Era isso. Paulo havia aprendido o segredo do contentamento. E o segredo era Cristo! Com Cristo que o fortalecia ele podia todas as coisas, pois Ele mesmo o capacitava para suportar todas as circunstâncias, tanto as boas como as difíceis. Assim, Paulo se contentava em ter fartura e abundancia; mas também se contentava em estar abatido, em sofrer perseguições, e, em passar por necessidades, pois em tudo isso, Cristo o fortalecia! 

É isso o que Paulo queria dizer com ''Posso todas as coisas naquele que me fortalece'' - A fé dele em Cristo Jesus o capacitava a suportar, sem murmurar, qualquer circunstância adversa. Veja tudo o que esse apóstolo chamado segundo a vontade de Deus passou lendo 2 Coríntios 11 a partir do v.23.   Quantas lutas e perseguições; quantos açoites e quantas prisões. Ele levava no próprio corpo as marcas de Cristo (Gálatas 6.17), pois tudo podia em Cristo que o fortalecia.

Agora sabemos que ''Posso todas as coisas naquele que me fortalece'' não tem nada a ver em conquistar todas as coisas que queremos, mas sim que podemos enfrentar, na fé em Cristo Jesus, qualquer circunstância e qualquer situação, seja ela boa ou difícil. Cristo, o nosso Salvador, nos concede graça para suportarmos sem reclamar as piores situações que tivermos que enfrentar. Portanto, podemos ter fartura e abundancia; podemos padecer necessidades, podemos sofrer perseguições; podemos sofrer injustiças, mas em tudo isso estaremos de pé, firmes no Senhor, pois é Cristo quem nos fortalece e capacita.

Posso todas as coisas em Cristo que me Fortalece

- Priscila Gomes

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Se Cristo não é suficiente na tua vida, nada mais será

Vivemos em um tempo onde as pessoas pensam, erradamente, que só serão felizes se tiverem tudo aquilo que sua alma desejar.  Só que tais pessoas descobrem que continuam tristes, vazias e infelizes mesmo depois de terem alcançado o que queriam.  Por que será? Já quero ir direto ao ponto: Coisas não são suficientes para nos fazer felizes. Se Cristo não é suficiente para mim, nada mais será!

Vejo por aí um grande número de pessoas correndo contra o tempo para realizar seus sonhos e objetivos de vida - não que isso seja errado. O problema é pensar que a verdadeira felicidade se encontra na realização de tais coisas. É verdade que quando alcançamos ou adquirimos algo que tanto queríamos ficamos felizes, e isso é normal e natural.

Mas observemos que com o passar tempo toda aquela que felicidade que sentimos após termos conseguido o que tanto almejavamos desvanece e some como uma fumaça desaparece no ar. Por quê? Porque coisas não são suficientes para fazer o homem verdadeiramente feliz.  Um exemplo disso são os ricos. Os ricos possuem o que a maior parte das pessoas desejam: Dinheiro, segurança, bem-estar, etc... Não obstante, muitos deles são pessoas tristes, infelizes, depressivas e amarguradas que não encontram um sentido para suas vidas e, por causa dessa realidade, muitos acabam cometendo suicídio, abreviando assim a sua chegada ao inferno, ao lugar onde o fogo não se apaga e o verme não morre. (Marcos 9.44)

Concluímos então que ter tudo não é suficiente para tornar um ser humano feliz. Se isso fosse mentira, os ricos seriam as pessoas mais felizes do planeta; se isso fosse mentira muitos ricos não dariam cabo de suas vidas, pois não teriam motivos para isso.

Outro erro que o ser humano comete é pensar que um namorado/namorada ou qualquer outra pessoa é o que basta para ser feliz. Alguém pode pensar que não precisa de nada além de ter outra pessoa para ser feliz e compartilhar as aventuras da vida. Ah, quantos sonham em se casar! Quantas moças e rapazes estão em busca do casamento! Sim, o casamento é uma bênção, o próprio Deus, como sabemos, instituiu o casamento, logo, desejar casar não é errado, muito pelo contrário. Em Provérbios 18. 22 diz: Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do Senhor.

Então qual é o problema? O problema é pensar que um alguém é suficiente para me fazer absolutamente feliz; o problema é achar que o casamento é a única coisa no mundo que fará o homem ou a mulher o ser mais feliz do mundo só porque casou. Não me entendam mal. Acredito que você já entendeu o quero que você entenda.  O casamento entre duas pessoas que se amam trás profunda alegria e regozijo, sim. Um homem e uma mulher ao se casarem experimentarão uma alegria demasiadamente grande, isso é fato! Quando vamos a um casamento os noivos estão sempre felizes, não é mesmo?

Pois bem, o que quero que você entenda é que nem mesmo um cônjuge é suficiente para tornar alguém verdadeiramente feliz. Note que estou enfatizando o verdadeiramente, porque somente Cristo pode dar a verdadeira alegria.
Como mencionado acima, se Cristo não é suficiente na minha vida, nada mais será. Somente Cristo deve ser suficiente para nós. Cristo, o nosso Senhor e Salvador, é Supremo. Ele é superior e está acima de absolutamente todas as coisas. Tudo foi criado pelas mãos dele, somos salvos por meio dele. Mas, se apesar de tudo isso não o considero suficiente para mim, então o quê mais além dele será? Marido? Namorado? Filhos ou bem terrenos?  Nada disso se compara a Cristo, nosso Senhor, Salvador e Redentor!

Tudo o que existe na terra é inferior a Ele pelo fato de tudo ter sido criado por Ele, sendo assim, como pode algo inferior ser suficiente para mim? É porque o homem não conhece a Deus! 

Sim, podemos nos alegrar com aquilo que temos, mas nada se compara a Cristo. Nada, nada, nada se compara a Cristo. A pessoa que não tem nada, mas tem a Cristo, é infinitamente mais rica do que aquela que possui todo o dinheiro do mundo. Quando consideramos Cristo suficiente para nós, nada mais importa, visto  já termos tudo o que necessitamos; e Cristo Jesus, somente Ele, é tudo o que precisamos.

- Priscila Gomes da Silva

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Eu disse Adeus ao Namoro - Livro

 Eu disse adeus ao namoro é uma obra que todo jovem solteiro deveria ler, aliás, não só os solteiros, mas também os que estão namorando e também aqueles que acabaram de sair de um relacionamento. Na sociedade atual, o namoro de muitos jovens cristãos em nada se difere do namoro de um ímpio. E devido à falta de conhecimento e sabedoria até mesmos jovens cristãos tem se deixado levar por um tipo de namoro errado, egoísta e egocêntrico que não agrada e nem glorifica a Deus. Não é pouco o número de pessoas que namoram apenas por namorar e não tem o objetivo de casar, e isso é completamente errado. Muitos não sabendo o real propósito do namoro embarcam em uma aventura cheia de intimidade que os levam rapidamente ao pecado e, posteriormente, ao remorso e à desilusão. 

Neste livro aprendemos que não se deve namorar puramente por diversão, carência ou visando à satisfação dos desejos carnais; e que o namoro deve ser evitado até que se esteja pronto para o compromisso do casamento. 
Com diversas histórias fictícias, o autor nos ensina o que é correto e o que não é em um namoro; fala também sobre a pureza que devemos ter e sobre a importância de não despertarmos pensamentos impuros no sexo oposto; fala como identificar o caráter da pessoa que nos despertou o interesse e muitas outras coisas.

O autor, Joshua Harris, dá inúmeros conselhos sábios e práticos, baseados em princípios bíblicos que nos ajudarão a glorificar a Deus no período de solteirice e também no namoro.
Enfim, o livro é rico em detalhes e abre a nossa mente de uma maneira profunda; e nos leva a ver o namoro com outros olhos. É maravilhoso e, apesar do título meio que radical, é um livro muito interessante e rico em ensinamentos que poderemos levar para a vida toda. O livro vai muito além do que escrevi aqui e é muito abrangente e completo em seu conteúdo. Recomendo a leitura e garanto que você não se arrependerá de tê-lo lido.
 E aí, você está disposto(a) a dizer adeus ao namoro?

Abaixo segue a sinopse do livro

Sinopse

''Você já teve alguma decepção no namoro? Cansado deste jogo? Será que vale a pena dizer adeus ao namoro? Namorar como todos fazem hoje, não tem um jeito melhor? Este livro sugere que sim. Reorganize a sua vida emocional e romântica à luz da Palavra de Deus e encontre maior realização que um namoro jamais poderia dar: uma vida de amor sincero e verdadeira pureza, plena de propósito.
JOSHUA HARRIS: "Eu tinha dezessete anos de idade quando meu relacionamento com a Kelly terminou. Meus sonhos de romance acabaram em amargura, remorso e ainda deixei de lado valores pessoais. Eu saí do namoro me perguntando: Será que tem de ser assim? Me senti desanimado, confuso e desesperado procurando uma alternativa para o ciclo de relacionamentos de curto prazo em que me encontrava. "Deus - eu clamei, eu quero o melhor para a minha vida, dê me algo melhor do que isso".
"Eu acho que nunca li um livro em que o autor tenha sido tão honesto e verdadeiro como Joshua o foi neste aqui. Ele lida com os temas difíceis e as questões árduas neste tópico confuso: namorar ou não namorar. E ele dá respostas''.

''A coisa certa no tempo errado é a coisa errada''.
—  Joshua Harris

-Priscila Gomes


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Oração não é só na igreja

Engana-se quem pensa que oração é para ser feita apenas na igreja. 

Em todo tempo precisamos estar conectados com Deus através da oração; por isso, reserve todos os dias alguns minutos ou horas para estar a sós com Deus. 
Não permita que as coisas passageiras dessa vida ocupe o seu tempo de forma que não sobre espaço para falar com Deus. 

Se você é uma pessoa muito ocupada e durante o dia não tem como escapar para orar, não tem ploblema, ore em espírito, só não deixe de se relacionar com o Pai através da oração. 
Lembre-se, manter o contato com o Senhor, ler e estudar a palavra diariamente é demasiadamente importante para o nosso crescimento, amadurecimento e bem estar espiritual. 

-Priscila Gomes

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Desfrute a vida tendo em mente o dia do Juizo vindouro

Todos concordam que a  juventude é a melhor fase da vida, pois é na juventude que nos sentimos mais fortes, mais dispostos, mais animados, mais corajosos, etc. Os jovens em geral, cristãos ou não,  têm diversas coisas em comum. Todos (ou quase todos) gostam de diversões - cinemas, saída com os amigos, esportes, etc. A juventude é a fase das novas descobertas, é a fase da agitação; também é a fase em que se pára para pensar no futuro, e em coisas mais importantes e sérias da vida como carreira e casamento.
 
''Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade'' (Ec 12.1 ) - Lamentavelmente, poucos jovens têm se atentado para esse texto. Muitos, por não acreditarem que o dia do Juízo vai chegar, vivem suas vidas de maneira mais desordenada possível, como se fossem eternos. 

Precisamos considerar as palavras do sábio Salomão. Salomão recebeu de Deus uma imensa sabedoria; e tal foi a sua sabedoria que em toda a terra não existiu ninguém mais sábio do que ele (1 Rs 10.3). Incontáveis foram as suas riquezas (1 Rs 10.23; 2Cr 1.12); e quão grande foi o número de mulheres que ele teve (1 Rs 11.3). Mulheres essas que o fizeram desviar dos caminhos justos de Deus para seguir após a idolatria (1Rs 114).

No final porém, Salomão reconheceu que tudo que sucede na vida do homem é vaidade quando se vive à parte de Deus - todas as conquistas, todas as realizações, todos os empreendimentos humanos, todo regozijo, todo esforço, todo trabalho - tudo é vão quando Deus não faz parte da vida do homem.

Mas o que acontece é que os jovens sem Deus não se importam com isso pois estão deslumbrados e fascinados com os encantos do mundo. Estão incapacitados de pensar no futuro eterno por conta do estado em que se encontram - trevas e cegueira espiritual. 

Muitos jovens, na atualidade, não conhecem limites e nem moderação; muitos brincam com coisas sérias, outros se deleitam em fazer com outros brincadeiras de mal gosto. Drogas, bebidas, imoralidades, pornografias, sexo antes do casamento - tudo isso tem feito parte da vida da juventude sem Deus. Eles não estão se lembrando do Criador enquanto jovens; ao contrário, estão desprezando o Criador realizando com tamanha satisfação e gosto os pecados mais vis. 
Diz a Bíblia: ''Alegra-te jovem, na tua juventude, e toma prazer no teu coração nos dias da tua mocidade; e anda nos caminhos do teu coração; saiba porém, que sobre todas essas coisas te trara Deus a juízo'' (Ec 11.9, ênfase minha)

''E impossível desfrutar a vida sendo crente'' - esse é o pensamento daqueles que não tem Deus; isso porque as diversões e os prazeres estimados pelo mundo e que se resultam das concupiscências, Deus abomina! Crente não fuma, não usa drogas; crente (verdadeiro) não se prostitui, não vive na imoralidade; não porque são perfeitos, mas porque foram transformados e  feitos nova criatura (2Co 5.17) e o Espírito Santo habita neles, e por conta disso, os prazeres mundanos não lhes agradam mais.

Os cristãos são constantemente troçados pelo mundo por não se deleitarem nos mesmos prazeres; o mundo ridiculariza os cristãos pois eles acreditam e seguem os ensinamentos de Cristo. Já li e ouvi muitos comentários do tipo: ''você não deve acreditar em tudo o que a Bíblia diz; a Bíblia foi escrita por homens''. Sim é verdade, a Bíblia foi escrita por homens, mas por homens inspirados pelo Espírito Santo ( 2Pedro 1.21). Um anônimo comentou em umas das minhas postagens o seguinte: "Pobre povo tão débil e fraco quanto o seu deus pregado na cruz. Hail Satã!'' E outro comentário (acredito ser do mesmo autor), disse: ''... que baboseira. O melhor é beber da taça da vida enquanto ela ainda está cheia. Só satan dá a verdadeira liberdade. Hail Satã''
Tal pessoa está completamente cega. 

A nossa vida não se baseia somente aqui nessa terra. Muitos só pensam no aqui e no agora; só pensam em beber até não poderem mais; só pensam em se divertir, em namorar, em fazer maldades, só pensam em aproveitar a vida bem longe do Senhor, já que segundo eles ''é impossível aproveitar a vida sendo crente''

Longe está da mente dessas pessoas o dia da prestação de contas; o dia em que toda a humanidade terá de comparecer diante do Grande e Santo Deus, o Criador de todas as coisas para serem julgadas. São tantas as ocupações e preocupações com coisas materiais, são tantos divertimentos; a mente dos jovens está tão entupidas de redes sociais que não lhes sobra tempo para pensar no Dia do Juízo. Que perigo!

Como nós cristão temos de viver? O cristão é controlado pelo Santo Espírito de Deus. Quem direciona e conduz a nossa vida é o Espírito Santo. A vida do crente não é monótona, não é obscura ou desprovida de alegria, muito pelo contrário, o cristão  é de fato legre e sabe desfrutar da vida, mas tudo com Deus ao lado. O cristão faz todas as coisas tendo em vista o juízo vindouro, pois sabe que terá de prestar contas a Deus de absolutamente todos os seus caminhos.
A juventude sem dúvida é a melhor fase da vida. Portanto, caro jovem, não a desperdice com frivolidades; a juventude logo passa. Assim sendo, não ignores o teu Criador, ao contrário disso, ''Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os dias maus, e cheguem os anos dos quais digas: Não tenho neles contentamento'' .

Tenha em mente que os encantos do mundo são findáveis, eles passam em um piscar de olhos. Mas quem faz a vontade do Senhor, como diz a Escritura em 1 João 2.17, permanece para sempre.
Por fim, medite nesses versículos de Eclesiastes 12. 13-14

''O fim de todo discurso ouvido é este: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos, porque isto é o dever de todo o homem. 
Porque Deus trará toda a obra a julgamento, a qual se fará sobre tudo o que está oculto, quer seja bom, quer seja mau''. 

- Priscila Gomes da Silva

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos

Bastou apenas um pecado para que Adão e Eva fossem expulsos do paraíso. Tudo corria bem até o dia em que a serpente se apresentou a Eva e pôs em dúvida a palavra de Deus. A ordem expressa de Deus era para que ambos  não comessem do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal , pois se dela comessem certamente morreriam (Gêneses 2.16,17). Não se sabe que espécie de fruto era, mas, sem dúvida, era um belo fruto, de aparência desejável. Decerto, aquele fruto não era envenenado e não havia nele sustâncias destrutivas. Acredito que aquele fruto era como os outros - perfeito em sua essência. Deus em sua soberania, poderia ter escolhido qualquer outra árvore do jardim para provar nossos primeiros pais, no entanto, Ele escolheu a que ficava no meio.

A árvore do conhecimento do bem e do mau era para provar Adão e Eva. Eles podiam sem limites se deleitarem com o gosto saboroso de todos os frutos do jardim. Quando sentissem vontade poderiam estender suas mãos e comer do que quisessem livremente. Só existia uma proibição que, julgamos seria simples e fácil de obedecer: não comer do fruto da árvore que estava no meio do jardim. Parecia ser tão fácil obedecer essa ordem. Mas não foi. Enganada pela serpente, Eva comeu do fruto e ainda deu para Adão, seu marido. A partir daí, consequências esmagadoras afetaram toda a criação de Deus. Outrora, quão agradável era aos ouvidos de Adão e Eva ouvir Deus chamar; porém, depois do pecado, foi algo amedrontador!

Um pecado apenas foi o bastante para que esse casal fossem expulsos do paraíso. Só um pecado. Eles não tiveram uma segunda chance; não foi permitido que eles ficassem no jardim com a condição de não cometerem o mesmo erro uma segunda vez. Eles foram justamente julgados e perderam o privilégio que antes tinham de desfrutarem da plenitude da comunhão com Deus, tudo porque cometeram o pecado da desobediência. Deus disse expressamente: não comam. Mas, deliberadamente, eles comeram. A concupiscência dos olhos, a concupiscência da carne e a soberba da vida falaram mais alto. O desejo de comer aquele fruto formoso foi mais intenso que o dever de obedecer a palavra de Deus. Até o presente momento, a raça humana e toda a criação de Deus, enfrentam as consequências desse real acontecimento.

Atualmente não é nem um pouco diferente. Quão numerosos são os nossos pecados. Temos a palavra de Deus que é vida, que nos ensina o caminho da reta justiça de Deus; temos em nossas mãos as Escrituras; a Escritura revela as diretrizes para viver de forma que agrada a Deus. Temos ordens claras para não pecarmos, mas, à semelhança de Adão e Eva, desprezando e duvidando da palavra de Deus, nos entregamos ao pecado. Um pecado apenas é suficiente para nos mandar direto para o inferno. Se não fosse a infinita misericórdia de Deus, a humanidade hoje não existiria. Ouso dizer que todos nós, neste exato momento, estaríamos rangendo os dentes no inferno eterno se não fosse pela grande misericórdia e outros atributos de Deus. 

''As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos'' (Lamentações 3.22)

O amor e a misericórdia de Deus fez com que ele enviasse seu filho Santo, imaculado e sem pecado para morrer por uma humanidade cega e depravada que nenhum bem fez senão mau. Nada fizemos de bom para merecermos a salvação, a graça e a misericórdia de Deus. Apesar de pecarmos não uma e nem duas, mas muitas e muitas vezes, Deus quis usar de misericórdia para conosco. Jesus foi enviado e morreu por nossos pecados. A barreira que antes nos separava de Deus foi desfeita e deu lugar a reconciliação. Fomos reconciliados com Deus mediante o sacrifício de Cristo na cruz. Antes estávamos todos debaixo da ira, hoje, temos paz com Deus mediante a Cruz. Isto é, aqueles que são iluminados e aceitam o sacrifício de Cristo; pois aqueles que o desprezam permanecem debaixo da santa ira de Deus e estão condenados ao inferno se não se arrependerem dos seus pecados.

O Espírito Santo foi enviado para habitar em cada crente. Por Ele somos guiados em toda a verdade. Sendo controlados por ele não resta espaço para a carne atuar. Eva não resistiu à tentação; porém nós, auxiliados e fortalecidos pelo Espírito de Deus, conseguiremos resistir às tentações. A única forma de não sermos seduzidos pelo engano do nosso coração, pelas concupiscências e pelo diabo, é nos enchermos do Espirito. A Bíblia diz em Efésios 5.18: ''[...] Enchei- vos do Espirito'' . E em Gálatas 5.16 diz: ''Digo porém: Andai em Espirito e não cumprireis as concupiscências da carne''. 

Se não nos enchermos diariamente do Espírito seremos alvos fáceis. Cairemos no engano facilmente, assim como a nossa primeira mãe, se desprezarmos a Palavra de Deus e nos voltarmos para as coisas seculares. Se não quisermos ser vencidos devemos nos encher do Espírito. Se quisermos forças para resistir ao tentador precisamos nos encher do Espírito. 
O pecado só tem êxito na vida daqueles que desprezam a Deus, e como são grandes as consequências geradas pelo pecado, sendo a principal e mais terrível consequência, a morte eterna.

''Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo  Jesus, nosso Senhor'' (Romanos 6.23)
Sigamos a recomendação do Apóstolo Paulo em em nos encher do Espírito; se a nossa mente estiver cheia da Palavra, não cairemos nas mentiras de Satanás. 

Não merecemos absolutamente nada. Se Deus quisesse nos castigar imediatamente por causa dos nossos pecados, não seria injustiça da parte d'Ele. Como agradecer a Deus por seu infinito amor e pela salvação que Ele nos tem dado?

''Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque as suas misericórdias duram para sempre'' 
(Salmos 136.1)

Priscila Gomes

domingo, 1 de janeiro de 2017

A Secularização da Igreja

Quero compartilhar com meus amados leitores um estudo de umas das lições bíblicas da CPAD. A lição é de 2005, mas nem por isso deixa de ser atual. Espero que esse estudo seja de grande proveito para todos, assim como foi para mim; e, que estejamos profundamente firmados e enraizados nas verdades do Evangelho, pregado por Cristo e os apóstolos, a fim de não sermos levados jamais pela onda do secularismo.

Boa leitura!

INTRODUÇÃO
O grande desafio que a Igreja enfrenta, nestes dias que precedem a volta de Cristo, é a pressão e o engodo do Secularismo sobre ela. A influência do mundanismo que se manifesta em forma de apelo, fascínio, mistura, prazer e imitação, resulta em perda dos valores e virtudes cristãs, no enfraquecimento e estagnação da Igreja. Nesse estado, a igreja torna-se uma mera organização eclesiástica, sem vida e sem o poder do Espírito Santo. Os fundamentos da fé se abalam e por fim desabam. Nos mais diferentes lugares, percebe-se a sutil e crescente infiltração do mundanismo na Igreja sob a forma de conceitos, comportamentos e práticas anticristãs.
Esta lição trata dessas manifestações cada vez mais evidentes, conhecidas como secularização ou mundanização da igreja. Entretanto, nada mais são do que um desvio da verdade, como advertiu Paulo a Timóteo sobre aqueles que contendem para perverter a fé dos ouvintes.

I. A SECULARIZAÇÃO NA IGREJA
1.  O que é secularização. A Secularização da Igreja é o modo como esta vive, age, acomoda-se aos padrões do mundo. Daí, pervertem-se os ensinos bíblicos, abandona-se o que é santo, utiliza-se a fé com fins escusos e adotam ideias contrárias à doutrina cristã. E, de repente, a santidade do espírito, alma e corpo não têm mais tanta importância; assim dizem os desviados secularistas: ''o que importa na pessoa é o coração''.

A expressão ''falatórios profanos'' (2Tm 2.16) identifica esse comportamento como fonte da impiedade no meio da Igreja. Pelo contexto da referida passagem, vê-se que os falsos mestres tinham pervertido a doutrina da ressurreição, como se esta fosse um fato já consumado (2Tm 2.18), e não uma esperança que se concretizará no dia do Arrebatamento da Igreja. Muitos se declaram cristãos, mas não são de Cristo (Mt 7.21-23; Fp 3.18,19). Isto é secularismo.
O secularismo torce ardilosamente a verdade de Deus e busca tornar a Igreja uma instituição corrompida e secularizada, adotando os costumes e modos de viver do mundo em todas as suas esferas: na família, no emprego, na escola, no lazer e em muitíssimas outras atividades e empreendimentos da massa humana.

II. AS CONSEQUÊNCIAS DA SECULARIZAÇÃO DA IGREJA
1. A perda de identidade. A primeira consequência da secularização da Igreja é a perda da identidade do crente, uma vez que a Igreja somos eu e você, resgatados que fomos por Cristo para sermos um povo peculiar.  Como escrevi em meu livro, A Transparência da Vida Cristã: ''Os emissários do Diabo transvestidos de bons religiosos seguem a mesma linha e não se furtam de usar linguagem astuciosa - ecumênica, para ser mais preciso - buscando defender a multiplicidade religiosa, a qual nada mais é do que a repetição da velha ideia de que todos os caminhos levam a Deus''. Nesse emaranhado, a identidade cristocêntrica é prejudicada (Mt 7. 21-23).

2. A Valorização da forma ao invés do conteúdo. Alegando ''atividade cultural'' e ''folclórica'', há templos evangélicos em cujos pátios vê-se rodas de capoeira e ensino de bloco carnavalesco, enquanto no santuário, no chamado ''louvorzão'', entram em cena os ''trenzinhos'' e outras abominações. A linguagem mântrica está sendo empregada pelos ''animadores de palco'' e até elementos do judaísmo aparecem em conjunto com a liturgia cristã. É a secularização do culto evangélico para agradar os que rejeitam os preceitos normativos de vida revelados nas Escrituras. Isto significa valorizar a forma em detrimento do conteúdo.

3. A Inexistência de compromisso bíblico. É a terceira lastimável consequência. Enquanto a Reforma Protestante recolocou as Sagradas Escrituras no seu lugar de autoridade e honra, o secularismo na Igreja faz da Palavra um mero acessório. A melhor pregação, hoje, em certos auditórios ( o termos ''igreja'' está sendo evitado por eles), não é a expositiva, que prima pela exegese no desenvolvimento da mensagem da parte do Senhor. O que mais se ouve são frases de efeito, mas sem conteúdo para a alma. Podem causar até emoção, no entanto, não falam à razão e ao entendimento do ouvinte. Ver 1 Co 14.20.
São palavrórios incoerentes, a respeito das quais a Bíblia nos adverte como nos versículos 14,16,17, 23 e 24 de 2 Timóteo 2. É a pregação descartável. O certo é jogá-la fora. São muitos os que, nestes tempos de conformação da igreja com o mundo, de modernismo eclesiástico, de entrosamento da carne entre os crentes e de esfriamento espiritual, saem do culto decepcionados e clamando em espírito, ''Aviva, ó Senhor, a tua obra'' (Hc 3.2). Esse avivamento espiritual deve começar por nós individualmente, como clamou Davi no Salmo 119. 107: ''Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua Palavra''.

III. COMO COMBATER A SECULARIZAÇÃO NA IGREJA.
1. Pôr em prática o primado da palavra. Primazia total da palavra, em tudo, na igreja. Todos os crentes devem pelejar por isso.  O texto bíblico da leitura em classe é incisivo: o obreiro precisa manejar bem a palavra da verdade. (2 Tm 2.15). A expressão ''manejar bem'' é no original : cortar em linha reta; corretamente, no sentido de ensinar a verdade bíblica de forma direta e correta. A Palavra deve ser ministrada ao povo a tempo e fora de tempo (At 6,4; 8.25; 11.11 2.24; 2 Ts 3.1). Só a primazia da Palavra em tudo, e igualmente a sua valorização no púlpito, na congregação e na vida particular de cada um, pode conter o avanço da secularização da Igreja.

2. Priorizar e manter sempre o fundamento do evangelho. Não podemos perder de vista a grande verdade da fé: o fundamento do evangelho é inalterável. Paulo ressalta na segunda carta a Timóteo três características deste alicerce: a) o Senhor conhece os que são seus; b)  aqueles que lhe pertencem confessam o nome de Cristo e, c) os servos fieis apartam-se da iniquidade (2.19).  Esses são considerados vasos de honra para a glória de Deus (vv. 20,21). Todavia, mesmo aqueles que têm sido instrumentos para desonra, descritos como vasos de madeiras e de barro, são chamados ao arrependimento, a fim de que não sirvam mais ao mundo, desprendam-se dos laços do diabo e voltem à verdade do evangelho (vv. 24-26).

CONCLUSÃO
 Obreiros em geral, pastores, dirigentes, líderes da igreja, e todos os crentes: fechemos as portas à maléfica e traiçoeira secularização. Priorizemos o primado da Palavra na igreja. Estejamos vigilantes contra as sutilezas malignas que tentam introduzir-se no meio dos fieis e valorizemos os princípios bíblicos em nossa vida como uma forma de conter o mundanismo.

Fonte: Lições do 4° Trimestre de 2005
Comentário: Geremias do Couto
Lição n° 11