quinta-feira, 2 de novembro de 2017

As Escrituras Sagradas - única regra de fé e prática para a igreja

Somente a Escritura Sagrada é a única regra de fé e prática para a vida da igreja. Nos dias atuais, infelizmente, não poucas denominações têm sido guiadas e dirigidas não pela santa Palavra de Deus, mas sim pela cultura, costumes e ideologias humanistas desse mundo vil. Diversos líderes e pastores, com medo de perderem seus membros, seguem apelando para outros elementos, além das Escrituras, com o intuito de mantê-los fixos em suas igrejas. Concordo plenamente com a fala do pregador puritano Charles Spurgeon: 
 “O diabo raramente criou algo mais perspicaz do que sugerir à igreja que sua missão consiste em prover entretenimento para as pessoas, tendo em vista ganhá-las para Cristo"

Parece que para muitos pastores e líderes dos dias atuais a Bíblia perdeu a sua eficácia; somente as Escrituras para eles já não é mais suficiente para salvar o pecador, ao contrário, precisa-se incrementar outros meios para chamar pecadores ao arrependimento. Mas a verdade é que nunca haverá conversão verdadeira se a Palavra não for pregada e ensinada com fidelidade. O único meio eficaz para converter o pecador é a fiel pregação da Palavra de Deus, não existe outro modo.

A declaração de Cambridge diz: 
''A Bíblia sozinha ensina tudo o que é necessário para a nossa salvação do pecado, e é o padrão pelo qual todo comportamento cristão deve ser avaliado''.

Não são poucos os que negam as Santas Escrituras alegando que ela perdeu o seu valor, visto estarmos vivendo tempos modernos e, sendo assim, seus ensinamentos e princípios já não se aplicam mais aos dias contemporâneos. Porém, esse conceito está definitivamente errado, pois sendo a Palavra de Deus imutável, ela não muda nunca e jamais perderá o seu valor; e as verdades das escrituras serão sempre absolutas, aceitando o homem ou não. O que era pecado a milhares de anos atrás continua sendo pecado hoje e continuará sendo nos séculos vindouros.

Falando agora sobre os livros da Bíblia, todos eles, desde o Antigo Testamento, com 39 livros, até o Novo, com 27, foram inspirados por Deus. Não negamos que a Bíblia foi escrita por homens falhos e pecadores como nós, porém tais homens, servos de Deus, foram inspirados pelo Espírito Santo para declarar e revelar a santa, perfeita e agradável vontade de Deus. ''Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo''. (2Pedro 1.21)

Os homens que escreveram a Bíblia foram apenas instrumentos nas mãos de Deus para escrever no papel a Sua vontade.

A Escritura é a infalível, inerrante, imutável e suprema Palavra de Deus, e quem a rejeita rejeita não aos homens, mas ao próprio Deus. O apóstolo Paulo disse em 1 Tessalonicenses 2.13: ''Tendo vós recebido a palavra que de nós ouvistes, acolhestes, não como palavras de homens, mas de Deus''. E o nosso Salvador Jesus disse, em Mateus 10.20: ''não sois vós os que falais, mas o Espírito de vosso Pai, quem fala por vós''. Portando, se é assim, quem rejeita a Palavra de Deus, rejeita o próprio Deus. 

A Confissão de Fé Batista diz o seguinte sobre as Sagradas Escrituras:
''A autoridade da Sagrada Escritura, razão pela qual deve ser crida e obedecida, não depende do testemunho de qualquer homem ou igreja, mas provém inteiramente de Deus, sendo Ele mesmo a verdade e o seu autor. A Escritura, portanto, tem que ser recebida, por ser a Palavra de Deus''.

Nenhum livro existente no mundo se compara a Escritura. O único livro que tem o poder de transformar o pecador em uma nova criatura é a Bíblia Sagrada, o Livro do Senhor. Dependemos vitalmente da Palavra de Deus; porém, infelizmente, um número assustador de denominações tem se afastado das verdades centrais das Escrituras e estão dando ouvidos a heresias e a doutrinas de demônios. A cada dia que passa mais a apostasia cresce no meio evangélico; mas como nos alertou o apóstolo Paulo, isso é uma das marcas dos últimos dias.

Precisamos voltar às Escrituras Sagradas e permitir que ela somente guie e oriente nossa vida. A lâmpada para os nossos pés é a Palavra do Senhor (Salmos 119.105), portanto, se não queremos escorregar e desviar nossos passos do caminho que conduz à vida eterna, então, necessitamos seguir fielmente a Palavra de Deus.

Citando mais novamente a Confissão de Fé Batista sobre as Sagradas Escrituras:
''Pelo testemunho da Igreja de Deus podemos ser movidos e persuadidos a ter em alto e reverente apreço as Sagradas Escrituras. A santidade do assunto, a eficácia da doutrina, a majestade do estilo, a harmonia de todas as partes, o propósito do todo (que é dar toda glória a Deus), a plena revelação que faz do único meio de salvação para o homem, e muitas outras excelências incomparáveis e perfeição completa, são argumentos pelos quais abundantemente se evidencia serem elas a Palavra de Deus. Contudo, a nossa plena persuasão e certeza quanto à sua verdade infalível e divina autoridade provém da operação interna do Espírito Santo, que pela Palavra e com a Palavra testifica aos nossos corações''.
8 Jo.16.13,14; 1Co.2.10-12; 1Jo.2.20,27  

 
E para finalizar, não deixe de meditar nos seguintes versículos:

''Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração''. (Hebreus 4.12)

''Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça'' (2 Timóteo 3.16).

 
Querido leitor cristão, deixe que a Palavra de Deus que é infalível, imutável e inerrante dirija a sua vida em todas as áreas, não a cultura nem as ideologias desse mundo mau e perverso.

-Priscila Gomes

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Andai como filhos da luz

Toda gloria seja dada ao Deus eterno,  pois Ele nos resgatou da nossa vã maneira de viver. 

Antes da cruz éramos inimigos de Deus e filhos da ira por natureza. Vivíamos segundo o curso deste mundo, satisfazendo a vontade da nossa natureza pecaminosa e desonrando ao Deus, que é três vezes santo, com nosso modo de viver pecaminoso. Definitivamente merecíamos a ira e a condenação eterna, pois mui grande foi o nosso pecado. Porém, Deus que é riquíssimo em misericórdia (Efésios 2.4), não nos abandonou no pecado e deu- nos, gratuitamente, um presente inefável - a sua graça, que foi manifestada em Cristo Jesus, o nosso Salvador.

Nós, que anteriormente estávamos longe de Deus, fomos aproximados Dele mediante o sangue de Cristo Jesus, ganhamos assim uma nova vida e uma nova identidade em Cristo, e, além disso, fomos abençoados com todas as bênçãos espirituais (Efésios 1.3). Anteriormente éramos filhos das trevas e vivíamos na inutilidade dos nossos pensamentos e das nossas obras mortas.

Porém, o nosso quadro de pecado e miserabilidade mudou quando a graça de Deus, soberanamente, nos alcançou. Em Cristo fomos regenerados. Recebemos de Deus um novo coração, sendo então transformados em novas criaturas. ( 2Coríntios 5.17).

Diante de tantas bênçãos espirituais e privilégios incalculáveis que recebemos  do Senhor, como nos convém viver? Convém-nos viver de modo digno da vocação com que fomos chamados (Efésios 4.1); convém-nos viver de modo digno do evangelho de Cristo (Filipenses 1.27); convém-nos andar e ''viver de modo digno do Senhor, agradando-lhe plenamente, frutificando em toda boa obra, crescendo no conhecimento de Deus'' (Colossenses 1.10)

Como filhos da luz, temos de também caminhar na luz, como convém aos filhos de Deus. Muitos têm vivido como tolos, fazendo e dizendo o que não convém, envergonhando assim o evangelho de Cristo. Muitos por aí se intitulam cristãos, porém, ao invés de viverem como filhos da luz, vivem  o oposto, como filhos das trevas, se entregando aos prazeres carnais, à imoralidade, a desejos maus, à impureza, à mentira, a fofoca, às discussões e bate boca, à maledicência, às linguagens indecentes, à ira, etc. Os tais dizem-se cristãos, porém não abandonaram a antiga maneira de viver e nem fizeram morrer as coisas pertencentes a antiga natureza pecaminosa, e dessa forma vão se corrompendo por seus desejos enganosos (Efésios 4.22); isso somente prova que os que vivem dessa forma, mesmo reivindicando para si o título de cristão, não nasceram de novo, antes continuam mortos em seus delitos e pecados e, consequentemente, permanecem debaixo da santa e justa ira de Deus.

Diferentes dos filhos das trevas, os filhos da luz, mediante o favor imerecido de Deus, se despiram do velho homem, e se revestiram do novo, o qual está sendo renovado em conhecimento, à imagem do seu Criador (Colossenses 3.10). 

Como filhos da luz, temos de viver de maneira santa, irrepreensível e exemplar no nosso comportamento. Se a Palavra de Deus nos instrui a vivermos de maneira reta, é porque é possível, sempre com a ajuda do Espírito Santo, pois Ele é quem nos guia em toda verdade (João 16.13).  Mas apesar disso, muitos usam desculpas esfarrapadas, alegando que ninguém é santo ou perfeito, somente para justificar sua vida de pecado. Se a Bíblia diz para sermos imitadores de Deus como filhos amados (Efésios 5.1), é porque é possível. Não somos perfeitamente santos, mas se obedecermos as diretrizes de Deus, reveladas nas Escrituras, seremos perfeitos (ainda que não plenamente), como Ele deseja.

Quando vivemos de maneira santa o inimigo fica sem ter do que nos acusar, e assim, é ele próprio quem fica envergonhado (Tito 2.8). Se andarmos ''honestamente, como de dia: não em glutonarias e bebedeiras, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e invejas'' (Romanos 13.13), o mundo fica sem ter do que nos acusar.

Como identificar os filhos da luz? Identificamos os filhos da luz através do seu procedimento condizente com a Palavra. Os frutos revelam se uma árvore é boa ou má (Mateus 7.16,17). Agora vejamos abaixo como é o proceder dos filhos da Luz, os verdadeiros eleitos de Deus:

Os filhos da luz fazem todas as coisas sem murmurações (Filipenses 2.15); andam em amor (Efésios 5.2); não se embriagam com o vinho em que há contenda, antes enchem-se do Espírito (Efésios 5.18); não mentem uns aos outros, visto que já se despiram do velho homem com suas práticas (Colossenses 3.9); não pagam o mal com o mal, antes segue sempre o bem (1Tessalonicenses 5.15); em tudo dá graças a Deus (1Tessalonicenses 5.18); não são participantes das obras infrutuosas da trevas, antes condenam-na (Efésios 5.11); aprovam tudo o que é agradável ao Senhor (Efésios 5.10); são pacientes na tribulação e perseveram na oração (Romanos 12.12); dão muitos frutos para a glória de Deus (João 15.8); guardam os mandamentos de Cristo e permanecem em Seu amor (João 15.10); são santos em toda a maneira de viver (1Pedro 1.15).

Listei apenas essas referências, porém há muitas outras que indicam como os filhos de Deus devem viver.

É dessa forma que o Pai Celestial deseja que seus eleitos vivam, de forma agradável a Ele e de modo digno de Cristo. Recebemos um dom e uma herança inefável de Deus, por isso temos de viver de maneira harmoniosa com aquilo que recebemos. Portanto que todos nós, eleitos de Deus, continuemos a viver em Cristos Jesus, enraizados, edificados e firmados na fé, transbordando de gratidão a Deus (Colossenses 2.7). 

Diante de tudo o que recebemos de Deus, temos mesmo o dever de andarmos de modo santo, justo e reto, para a glória de Deus.  Quando buscamos compreender o amor de Deus e quando entendemos tudo o que Ele fez por nós, o nosso coração transborda de alegria e se enche de regozijo por causa do amor de Deus, e isso de tal forma que o desejo do nosso coração será agradá-Lo em tudo. Então se é assim, engajemo-nos diariamente em buscar compreender, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejamos cheios de toda a plenitude de Deus (Efésios 3.18,19), e assim, motivados por esse amor tão meigo e singelo podermos viver como filhos da luz, de modo digno e sincero, resplandecendo como astros no mundo.


''Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz'' 
(Efésios 5.8)


Priscila Gomes

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Oferte o seu melhor a Deus

Maria, irmã de Lázaro, em certa ocasião, ungiu os pés de Jesus com um perfume muito caro feito de nardo puro. O nardo ''é uma planta originária do Nepal, China e Índia cujo óleo essencial é usado como perfume ou para fins medicinais¹.''

Um dos discípulos de Jesus, Judas Iscariotes, se admirou grandemente por ver tamanho desperdício (é claro que não foi desperdício nenhum), pois tal perfume era caríssimo e ele só conseguia pensar no dinheiro que poderia obter com a venda do mesmo (João 12.5-6).

O interessante é que Maria não se importou com isso, pelo contrário, movida pelo amor e gratidão por tudo o que Jesus havia feito por sua família, simplesmente pegou seu frasco de perfume e derramou aos pés d'Ele. Ela não teve pena de derramar uma gota sequer daquele caro perfume aos pés do Homem que fez o impagável por ela. Alguns dias antes, Maria e Marta, sua irmã, estavam tristes e desconsoladas, pois seu querido irmão Lázaro havia morrido em decorrência de uma doença. Para elas não havia nenhum vislumbre de esperança visto que seu irmão já estava morto e sepultado; então, tudo o que bastava era chorar e se lamentar pela morte do seu amado irmão que, certamente, havia protegido e cuidado  delas com amor e carinho.

Quando tudo parecia perdido e sem solução, chega Jesus, trazendo esperança. Ele mesmo, a própria ressurreição veio trazer novamente à vida aquele que tinha morrido. Após dar graças a Deus ( João 11.41), Jesus ordena que Lázaro, que estava há quatro dias no túmulo e já cheirando mal (João 11.39), saísse para fora (João 11.43), e como o chamado do Senhor é irresistível, até o morto teve que obedecer-Lhe. Quão admirados, surpresos, espantados e maravilhados ficaram todos os que ali estavam presentes! Quem mais a não ser Deus poderia fazer tal milagre? Certamente, as duas irmãs, ao verem seu irmão com vida novamente, choraram, mas dessa vez, de alegria e gratidão a Deus.

Dinheiro nenhum poderia fazer o que Jesus havia feito. O perfume de Maria era caríssimo, mas o valor desse perfume era irrelevante comparado ao que Jesus fez. No entanto, tal perfume não deixava de ser valioso. Então, como forma de expressar seu amor e gratidão pelo que o Mestre tinha feito, ela pegou seu frasco e derramou o seu valioso unguento nos pés Daquele que fez o impossível por ela. Judas achou que Maria desperdiçou com Jesus algo muito valioso, um bem que poderia render muito dinheiro a ela (ou a ele?); porém Maria não olhou para isso, pois diferente de Judas, que era um mercenário, ela era de fato devota a Cristo e O amava de todo o coração e profundamente, e sabia que todo sacrifício por Jesus valia a pena.

Agora, paremos e reflitamos. O que temos de valioso que podemos ofertar ao nosso Salvador? Será que temos dado o nosso melhor a Ele? Ele nos deu tudo, nos deu a vida, nos livrou da morte e ainda prometeu vir nos buscar para estarmos com Ele na glória (João 14.3). Agora pense. Que dinheiro pode comprar o presente que Ele nos deu gratuitamente? Digo que nem mesmo todo dinheiro do mundo seria suficiente. 

Não podemos ter pena de ofertar ao Senhor aquilo que temos de mais valioso - o nosso tempo, a nossa força - e se assim o Senhor quiser, não devemos hesitar em servir ao reino Dele com os nossos bens, com nosso dinheiro (ainda que pouco) e vou além, com a nossa própria vida se for preciso.   

A Bíblia diz para servirmos ao Senhor com alegria: "Servi ao Senhor com alegria, e apresentai-vos a ele com cântico" (Salmos 100.2). É muito oportuno lembrar-se daquela pobre viúva que ofertou ao Senhor duas moedinhas (Lucas 211-4). Duas moedas eram tudo o que ela tinha e era todo o seu sustento. Mesmo assim ela o fez com alegria. Os ricos depositavam no ofertório somente sobras, restos, aquilo que não queriam nem precisavam; mas diferente deles, a pobre mulher viúva deu todo o dinheiro que possuía sem se preocupar se passaria por necessidades devido a falta daquelas moedinhas. Mas o que importa é que ela estava firmemente segura que o Dono do ouro e da prata cuidava dela. 

Devemos manifestar em todo tempo nossa sincera devoção e gratidão ao Senhor, pois o que Ele fez por nós, ninguém no universo poderia fazer. O que Jesus fez por Maria, Marta e Lázaro, ninguém e nem todo o dinheiro do mundo seria capaz de realizar. Antes disso, os três já amavam profundamente ao seu Senhor, mas depois de terem visto a glória de Deus, creio que amaram ainda mais.

Por fim, essa mulher piedosa e temente a Deus (Maria), foi e ainda é um exemplo de amor, de devoção e de fervor para todo seguidor de Cristo; lembrando que ela é mesma Maria que se assentava aos pés de Jesus para ouvir seus ensinamentos (Lucas 10.39). Ela sentia fome pela verdade e não perdia uma oportunidade de aprender aos pés do Mestre! 

Querido leitor(a), tal como aquela viúva, não dê sobras a Deus; e assim como Maria, não sinta pena de ofertar ao Senhor o que tens de melhor, como forma de gratidão por todos os benefícios que Ele, graciosamente, tem dado a você.

"Que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito?" 
(Salmos 116,12)


-Priscila Gomes
_________________________________
¹ https://www.significados.com.br/nardo

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus


''Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor DEUS, para anunciar todas as tuas obras'' (Salmos 73.28)

Uma coisa que digo sempre, e que é verdadeira é:  não há outro modo de nos aproximarmos de Deus a não ser através da oração e da Palavra.  Creio que Deus, se assim desejar, pode falar conosco de diferentes formas, pois sendo soberano faz tudo segundo a Sua santa e livre vontade; porém nós não, a única forma que temos de nos achegarmos a Ele é através da oração.

Atualmente, devido a tantas novidades tecnológicas, diversos crentes têm desperdiçado boa parte do seu precioso tempo com coisas vãs, coisas essas que não trazem edificação e nem contribuem em nada com o relacionamento com Deus. Uma coisa que tenho observado ultimamente é que o celular, sim, o celular, tem sido mais valorizado que a Bíblia. Um aparelho cheio de coisas e aplicativos "legais" tem prendido a atenção de milhares pessoas de tal forma que chegam a ficar viciadas! Têm crentes que não largam o celular para absolutamente nada, passam horas e mais horas grudados neste aparelho batendo papo nos aplicativos de mensagens, etc, como se tais coisas trouxessem algum tipo de benefício ou edificação para sua vida espiritual.

Passar horas e mais horas no celular, nas redes sociais, não nos aproxima de Deus, pelo contrário, às vezes só afasta, não é verdade? Há uma grande multidão de pessoas que estão sendo levadas para longe da presença de Deus sem ao menos perceber isso, e a situação pode piorar se providências não forem tomadas com urgência.

Para o rei Davi não existia nada melhor do que estar na presença do Senhor, dia e noite. A alma dele ansiava ardentemente por Sua presença. Estar nos átrios do SENHOR era incalculavelmente melhor que tudo para Davi. Ele preferia estar um dia na presença do seu Deus do que mil dias em outros lugares ( Sl 84.10). Meditar na lei do Senhor era seu maior deleite ( Salmos 119.97), pois ele sabia que a Palavra de Deus é rica, é uma fonte inesgotável de tesouros. Somente ela nos ensina a verdadeira sabedoria, nos ensina a viver da maneira que agrada a Deus, etc. Mas, apesar disso, ela tem sido muito menosprezada pela maioria daqueles que, hipocritamente, dizem amar a Deus. Infelizmente grande parte de crentes(?) tem negligenciado as disciplinas espirituais por causa de coisas secundárias e bobas, e assim, pouco a pouco e sem perceber, têm sido levados para longe de Deus, e quando percebem já estão afastados de Deus e sem forças para se aproximar d'Ele.

Quando deixamos de nos relacionar com Deus, através da oração, da leitura da Palavra e do jejum, a tendência é nos enfraquecermos espiritualmente, e se não tomarmos uma providência o quanto antes, esse enfraquecimento se tornará cada vez mais forte a ponto de morrermos espiritualmente. É por isso que não podemos relaxar, permitindo que as muitas tarefas do dia a dia roubem todo nosso tempo a ponto de não termos tempo para o Senhor: "Buscai primeiro o Reino dos céus e a sua justiça..." (Mateus 6.33.)

Veja o exemplo dos homens de Deus no passado: Abel, Noé, Abraão, Davi, João, Paulo - a lista é longa - que comunhão e que amor maravilhoso eles tinham para com Deus. Deus nunca deixou de ouvir a oração de nenhum deles, pois eles andavam lado a lado com Ele.

Às vezes fico triste por não me parecer tanto com esses servos de Deus e, principalmente com Jesus, em questão de fé, comunhão com Deus e oração, etc, por isso, minha oração é para que o Senhor me transforme dia a dia e me faça parecer cada vez mais com Seu amado Filho.
Se queremos que o Senhor se aproxime de nós, então devemos nos aproximar d'Ele: ''Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós'' (Tiago 4.8). E quando o buscamos de todo o coração Ele nos garante que o encontraremos: "Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração" (Jeremias 29.13).

Irmãos, que frutos indescritíveis colheremos ao nos aproximarmos de Deus, frutos esses que permanecerão eternamente; frutos que jamais apodrecem, pelo contrário, se aperfeiçoam dia a dia, para a glória de Deus. ( João 15.8).

Não existe melhor lugar do que a presença de Deus. Davi disse: "A tua presença me enche de alegria e me traz felicidade para sempre" ( Salmos 16.11, NTLH). O salmista também disse: "Quão amável são os teus tabernáculos, ó Senhor dos exércitos! A minha alma suspira! sim, desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo" (Salmos, 84. 1, 2).

Lendo o livro de Salmos, notamos nas palavras de Davi e outros salmistas o forte anelo que eles tinham pela casa e presença de Deus. Para eles, estar na presença de Deus era algo que os enchiam de extrema alegria, porque sabiam, por experiência própria, que nada nesse mundo se compara ao estar diante de Deus, bebendo da água da vida e se alimentando de uma comida incomparavelmente especial. Tenho plena convicção de que nenhum relacionamento entre cônjuges, irmãos ou amigos, nenhum deles se comparam ao relacionamento com Deus, pois Ele sim, diferente de nós, nunca falha em nada e sempre age de maneira perfeitamente pura e santa em tudo.
Deus é a nossa vida "porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos..." (Atos, 17.28), e Ele é tudo o que temos.

Então, não se deixe levar pelas novidades desse mundo, pois o mundo passa (1João 2.17). Abra os seus olhos e viva em novidade de vida ((Romanos 6.4). Aproveite o seu tempo em coisas que edificam; e a melhor forma de você valorizar seu tempo é gastá-lo, ou melhor, ganhá-lo, na presença do Senhor, mantendo uma perfeita comunhão com Ele, através da oração e da Palavra. Faça isso a partir de agora.

-Priscila Gomes

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Faz-me mais grato a Ti, Senhor

Às vezes tudo o que sabemos fazer é reclamar e murmurar da vida, dos problemas do dia a dia, da família, das dificuldades, e de uma infinidade de outras coisas. Quase nunca estamos contentes e satisfeitos com o que temos, ou então queremos ter o que não precisamos. A verdade é que toda essa insatisfação e descontentamento, infelizmente, move o nosso lado interesseiro e nos leva a ir a Deus somente para pedir-Lhe coias, no entanto, ignoramos o fato de que Deus não é nosso servo e não tem absolutamente nenhuma obrigação de satisfazer os nossos desejos nem necessidades.

Não quero que essa afirmação te leve a duvidar da bondade de Deus, pois sim, Deus é infinitamente bom e a bondade é um dos seus muitos atributos. Mas não é porque é bondoso que Ele nos dará tudo o que queremos.  Seremos mais felizes se deixarmos de lado o nosso querer para nos submetermos a agradável e perfeita vontade do Senhor,  nos contentando com a Sua presença e sendo agradecidos por seu amor e misericórdia em todo tempo e em todas as circunstâncias. 

A grande maioria das pessoas manifesta sua gratidão ao Senhor apenas quando alcançam algo que tanto queriam, quando não, sentem raiva e insatisfação.  Mas os verdadeiros cristãos, que amam de verdade a Deus, manifestam sua gratidão não apenas quando sua oração é atendida ou apenas em circunstancias felizes da vida, mas também na hora da dificuldade e tribulação, pois sabe que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus. (Romanos 8.28)


O cristão sabe que ter tudo (bens materiais, dinheiro,etc) não é sinônimo de felicidade, se fosse assim, por que muitos ricos são melancólicos, infelizes e depressivos? Muitos têm tudo, mas ao mesmo tempo não tem nada, porque sem Cristo, nada vale a pena. Diferentemente, nós, eleitos de Deus, não precisamos de muita coisa para ser felizes e gratos. Mesmo  que não gozemos de muita saúde; mesmo que nossas condições sejam poucas, ainda assim nos alegramos porque temos o maior Tesouro que é Jesus. Muitas coisas Ele tem feito por nós, por isso, a nossa gratidão precisa ser manifesta em todo tempo.


''Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?'' (Salmos 116.12)


Deus já nos deu mais que o suficiente, na verdade, Ele próprio é suficiente para nós. Ele nos basta, a graça d'Ele nos basta (2 Coríntios 12.9)! Ele nos salvou nos resgatou das trevas e nos deu direito de sermos chamados seus filhos (João 1.12). E Ele fez isso por sua livre e soberana vontade (Efésios 1.5), pois não tinha nenhuma obrigação de nos salvar e nem nos dar nada, portanto, toda a glória seja dada eternamente a Ele por sua imensa bondade, graça, e também pela grande salvação que nos deu.

A verdade é que a grande maioria dos crentes é tão indiferente a isso que nem mesmo se importam em agradecer ao Senhor por esse grande presente que é a nossa salvação, isso é porque não entendem o quão terrível era o seu estado. Antes de sermos chamados por Cristo, estávamos separados de Deus por causa do pecado, estávamos condenados e debaixo da ira de Deus; merecíamos o castigo e a condenação eterna; mas Cristo, o Unigênito do Pai, se ofereceu a morrer por nós. Ele morreu a nossa morte, levou sobre si os nossos pecados, foi ferido e moído pelas nossas transgressões (Isaías 53.5), e por suas pisaduras fomos sarados. Por causa do que Ele fez fomos reconciliados com Deus e, agora, podemos nos achegar ao trono da graça com confiança. (Hebreus 4.16). 

Será que isso não motivo suficiente para sermos mais que gratos? Saiba que não foi pequeno o que Deus fez por nós, portanto, seja grato por isso e contente-se com o que Ele já te deu! O que temos ou o que deixamos de ter não se compara ao que Ele nos deu gratuitamente.

Em todo tempo temos de lembrar o que o Senhor fez por nós; precisamos nos lembrar de onde Ele nos tirou ''...de um poço de perdição, de um tremedal de lama''  (Salmos 40.2); Ele colocou os nossos pés sobre uma rocha e firmou os nossos passos.  O que mais Ele fez graciosamente por nós? Transportou-nos das trevas para o reino do seu Filho amado (Colossenses 1.13). 

Isso já é o bastante para nos motivar a agradecê-lo, em todo tempo. 

Quando se entende que não merecíamos nada disso, que nada de bom havia em nós para que Deus nos escolhesse (Salmos 14.2; Romanos 3.10, 11), e que não existe nada bom em nós que tenha atraído o amor d'Ele a nósa nossa atitude muda, e então, não paramos de agradecer um só instante ao Senhor por todos os benefícios que nos deu. 

Seja sempre grato por fazer parte dos eleitos de Deus, daqueles que foram escolhidos para herdar a vida eterna. Seja grato.

Por fim, medite na letra desse louvor da Harpa Cristã, n° 370

- Priscila Gomes

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Pedir, Buscar, Bater

 
A oração continua é o segredo da vitória. Geralmente muitos irmãos desistem de orar por não verem suas orações respondias.  Mas pare um pouco e veja o que você tem pedido a Deus,  quais são suas reais motivações, a glória de Deus ou a sua própria glória? Quando oramos com a motivação errada certamente não seremos atendidos; quando pedimos coisas a Deus para as gastarmos em nosso próprio deleite e prazer, Deus não nos atenderá, pois estamos sendo egoístas.

‘’Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos próprios deleites’' (Tiago 4.3)

   Também não devemos ir a Deus somente para lhe pedir bênçãos, pelo contrário, devemos ter o prazer de ficar na presença de Deus só o adorando e agradecendo por tudo o que Ele tem realizado em nossa vida. Na vida do crente, a oração deve ser como o ar que respiramos, assim como não podemos viver sem fôlego, da mesma forma, não podemos viver sem oração. Como diz Matthew Henry: ''Enquanto continuarmos a viver, precisamos continuar orando''.

    Mesmo quando não vemos nossas orações atendidas da forma que queríamos, devemos dar graças a Deus, pois Ele, como Pai amoroso e onisciente, sabe muito bem o que é bom e o que não é para nós. Às vezes pedimos coisas a Deus pensando que aquilo a qual pedimos é algo bom quando na verdade não é; por isso Ele não nos atende. Se Deus nos desse tudo o que lhe pedimos, o que seria de nós? Por isso, toda glória seja dada ao nosso Pai celestial, Ele sim sabe o que é bom para seus filhos.

   Em Mateus 7.7-11, Jesus nos ensina a pedir, buscar e bater, ou seja, com isso Ele quer  nos dizer que temos que ser perseverantes e persistentes na oração, pois nosso Pai Celestial é bom. E sempre devemos orar com fé, crendo que receberemos aquilo que pedimos.

   É preciso entender que nem todas as nossas orações serão atendidas imediatamente, ainda que elas estejam de acordo com a vontade de Deus. É por isso que o Senhor nos diz para perseverar e continuar orando mesmo que a resposta ou orientação divina estejam demorando. Em Lucas 18, na parábola do juiz iniquo, Jesus nos ensina ‘’sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer’’ (Lucas 18.1).

   As Escrituras diz: ‘’E tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis’’. (Mateus 21.22)

   Esse versículo não significa que Deus vai nos dar tudo o que pedimos. Deus certamente nos atenderá somente se as nossas orações estiverem de pleno acordo com a Sua vontade. E somente aqueles tem a vida controlada pelo Santo Espírito de Deus oram conforme a vontade do Senhor.

   Deus promete que se nós perseverarmos em buscar, pedir e bater, receberemos o que o pedimos.
Nós somos maus, Deus é bom. Como diz a palavra “Se vos sendo maus sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que esta nos céus, dará bens aos que lhe pedirem”?

   Vejamos, nós somos totalmente depravados e pecadores, mesmo assim, pela graça de Deus, sabemos dar boas coisas aos "vossos filhos"; já Deus é totalmente amor, nele não há trevas e nem maldade, logo, Ele mais do que ninguém sabe dar boas coisas aos seus amados filhos. O salmista diz ’Porque o Senhor é um sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; não negará bem algum aos que andam em retidão’’. (Salmos 84.11).
Sim, Deus abençoa aqueles que andam em retidão, aqueles que andam segundo a Sua vontade.

   Mas que fique claro uma coisa, Deus não nos dará tudo que lhe pedimos, pois nem tudo o que pedimos temos necessidade; Ele nos dará aquilo que de fato necessitamos. Por isso, não devemos andar ansiosos por coisa alguma, pois antes de lhe pedirmos algo, Ele já sabe o que precisamos (Mateus 6.32). Sendo assim, devemos nos deleitar no Senhor sabendo que nele estamos de fato seguros. O fato de Ele saber o que necessitamos deve nos confortar, pois Ele jamais nos deixará desamparados.

   A oração deve ser um estilo de vida na vida de todo cristão. Gastar tempo em comunhão com Deus é imprescindível para o nosso crescimento e fortalecimento espiritual; o crente não pode subsistir de forma alguma sem a oração, pois é ela que nos mantem de pé.

   Em suas orações não priorize coisas materiais, pois elas um dia se desfarão visto que não são eternas, mas busque aquilo que é eterno. Portanto, ore, busque a Deus, peça a Ele graça para que você possa viver todos os dias da tua vida na presença dEle, em plena harmonia com seu Espirito; ore para que você possa crescer na graça e no conhecimento de Cristo Jesus;  ore pelo seu progresso espiritual, peça a Ele para que te ensine a viver de modo digno de Cristo e do Evangelho. Peça, bata, busque, e não desfaleça jamais.
Há muito o que falar sobre oração, mas por hoje é só.

‘’O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus’’. (Filipenses 4.19).

‘’Perseverai na oração, vigiando com ações de graças’’. (Colossenses 4.2)

‘’Orai sem cessar’’ (1Tessalonicenses 5.17)

‘’Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade’’. (Hebreus 4.16)


 A oração é um escudo para a alma, um sacrifício a Deus e um açoite para Satanás. 
   -Jonh Banyan

- Priscila Gomes 

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Cuide para o tempo excessivo na internet não te leve para longe de Deus

A internet é o meio de comunicação mais usado em todo o mundo. Há quem pense, erradamente, que a internet é uma das ferramentas do Diabo, mas, é claro que não. A internet é uma ferramenta excelente e útil que tem facilitado a vida de muita gente que não usufrui de muito tempo. 
Com a internet podemos pagar e fazer compras sem sair de casa; podemos enviar e-mails em questões de segundos e outras inúmeras coisas. Isso é muito bom, certamente.
A internet é um meio de comunicação onde todos nós podemos expressar nossas opiniões e ideias; podemos fazer pesquisas, procurar informações, etc. E além do mais, podemos buscar na internet informações que a TV muitas vezes não mostra, não é mesmo? Por isso ela é muito boa.
Mas é preciso ter cautela.

Gosto de comparar a internet a uma ferramenta nas mãos de um trabalhador. Um bom trabalhador certamente usará as suas ferramentas corretamente, utilizando-as para o fim para qual elas foram criadas. Entretanto, algumas ferramentas podem se tornar um grande perigo nas mãos de quem não sabe manuseá-las corretamente. Inúmeros acidentes graves já aconteceram com muitas pessoas por conta de manuseios incorretos de certas ferramentas; e sem falar daqueles que, malvadamente, já feriram e mataram pessoas e animais com ferramentas de trabalho, enfim - mas sem alguém que a manuseie, para o bem ou para o mal, a ferramenta em si não tem poder algum.
Então, assim como uma ferramenta é incapaz de se manusear sozinha, ou de fazer bem ou mal por si só, a internet também não tem esse poder.

Assim como há quem saiba fazer bom da web, há também quem não saiba usá-la; e por fazerem mau uso dessa ferramenta, além de pecar contra Deus, acabam gerando muitas dores, frustrações, tristezas e problemas para si próprio.

Evidentemente não é pouco o número de pessoas que usam a internet para fins impróprios como: visualizar fotos e vídeos pornográficos. Também tem aqueles que criam sites, blogs, etc. para incentivar os jovens à violência e ao crime. E sem falar daqueles amigos virtuais que mentem o tempo a respeito da sua verdadeira identidade, fingindo ser o que na realidade não são, com o intuito de tragar os mais ingênuos.

Muitos jovens cristãos, adolescentes e crianças hoje em dia têm passado mais tempo do que deveriam em frente de uma tela viciante de um computador ou celular. Há muitos ''sozinhos'' e ''carentes'' de amor buscando, sem pensar no grande perigo que correm, uma pessoa, um namorado (a) virtual para desabafar e contar tudo sobre sua vida íntima a um estranho e desconhecido. 

Com relação aos cristãos, o tempo que era para ser gasto, ou melhor, ganho, com a família e com os amigos reais (não com os virtuais), e também no estudo da palavra de Deus, tem sido trocado pelas altas horas na internet.
A realidade é que a internet tem roubado o tempo de muitas pessoas, tem viciado a muitos e, também, destruído inúmeros casamentos e famílias. A internet tem ocupado muitas mentes. Alguns vão trabalhar pensando na internet; outros vão para escola pensando em voltar logo para entrar na internet. Na verdade, com todo esse avanço tecnológico, muitos trabalham e estudam conectados na internet do celular. E assim continuam com a vida. Nada de novo; nada de bom. Só pensam em internet e redes sociais, internet e redes sociais.

A internet é boa? É sim, não tenhas dúvida.
Ela facilita a nossa vida? Sim, muito.
As redes sociais são boas? Sim, mas só para quem é moderado e para quem sabe usá-las de forma saudável.
Todavia, mesmo que seja tão importante para nós, ela não pode e não deve tomar todo o nosso tempo. Temos de investir tempo no Estudo das Escrituras e na companhia da nossa família, dos irmãos em Cristo, e não na rede. 
Nós cristãos, precisamos aprender a ser moderados. Moderados!

Faça o uso correto da internet; use-a, mas não abuse. Veja bem os sites que você acessa. Seus pais, seus irmãos, sua esposa, podem não saber o que você anda vendo na rede; eles podem até não saber com quem você anda se comunicando, mas saiba que nada escapa do olhar onisciente de Deus, e naquele grande dia, a luz irá revelar tudo o que você fez em oculto (Efésios 5:11-13), portanto, vigie, tema a Deus!
Um conselho: Invista o seu tempo em coisas que te edificarão e fortalecerão espiritualmente e não em coisas que aos poucos te afastarão de Deus.

‘’Tudo o que me impeça de chegar a Bíblia é meu inimigo, por mais inofensivo que pareça’’
-A.W.Tozer

- Priscila Gomes

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Posso todas as coisas naquele que me fortalece [O real significado

(Filipenses 4.11-13)
O que o apostolo Paulo efetivamente quis dizer com Posso todas as coisas naquele que me fortalece? É muito comum vermos alguns irmãos e até mesmo pregadores empregando essa frase de forma equivocada. Quando isolados versículos da palavra de Deus, não atentando para o seu contexto, a tendência é errarmos na interpretação do texto. Quando Paulo disse que podia todas as coisas naquele que o fortalecia, ele não estava querendo dizer que podia conquistar todas as coisas que quisesse ter. Vou explicar.

Mas antes, quero você saiba que quando a carta aos filipenses foi escrita, Paulo estava preso, talvez em Roma. O objetivo dele ao escrever essa epístola era: (1) agradecer aos irmãos filipenses por terem lhe ajudado com uma oferta especial, por meio de Epafrodito (Filipenses 2.25); (2) confortar os irmãos em relação às suas prisões e dizer o quanto suas prisões contribuíram para o avanço do evangelho (Filipenses 1.12);  (3) tentar resolver um certo problema de dissenção entre duas irmãs, Evódia e Síntique (Filipenses 4.2). Etc.. 

Pois bem, agora vamos ver o que realmente Paulo queria dizer quando disse Posso todas as coisas naquele que me fortalece. Vejamos o que ele disse antes de falar isso:

'‘... Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.
Posso todas as coisas em Cristo que me Fortalece. '' ( Filipenses 4.11-13)

O versículo acima era exatamente o que ele queria dizer. Note a parte sublinhada. Contentamento. Era isso. Paulo havia aprendido o segredo do contentamento. E o segredo era Cristo! Com Cristo que o fortalecia ele podia todas as coisas, pois Ele mesmo o capacitava para suportar todas as circunstâncias, tanto as boas como as difíceis. Assim, Paulo se contentava em ter fartura e abundancia; mas também se contentava em estar abatido, em sofrer perseguições, e, em passar por necessidades, pois em tudo isso, Cristo o fortalecia! 

É isso o que Paulo queria dizer com ''Posso todas as coisas naquele que me fortalece'' - A fé dele em Cristo Jesus o capacitava a suportar, sem murmurar, qualquer circunstância adversa. Veja tudo o que esse apóstolo chamado segundo a vontade de Deus passou lendo 2 Coríntios 11 a partir do v.23.   Quantas lutas e perseguições; quantos açoites e quantas prisões. Ele levava no próprio corpo as marcas de Cristo (Gálatas 6.17), pois tudo podia em Cristo que o fortalecia.

Agora sabemos que ''Posso todas as coisas naquele que me fortalece'' não tem nada a ver em conquistar todas as coisas que queremos, mas sim que podemos enfrentar, na fé em Cristo Jesus, qualquer circunstância e qualquer situação, seja ela boa ou difícil. Cristo, o nosso Salvador, nos concede graça para suportarmos sem reclamar as piores situações que tivermos que enfrentar. Portanto, podemos ter fartura e abundancia; podemos padecer necessidades, podemos sofrer perseguições; podemos sofrer injustiças, mas em tudo isso estaremos de pé, firmes no Senhor, pois é Cristo quem nos fortalece e capacita.

Posso todas as coisas em Cristo que me Fortalece

- Priscila Gomes

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Se Cristo não for suficiente na tua vida, nada mais será

Vivemos em um tempo onde as pessoas pensam, erradamente, que só serão felizes se tiverem tudo aquilo que sua alma desejar.  Só que tais pessoas descobrem que continuam tristes, vazias e infelizes mesmo depois de terem alcançado o que queriam.  Por que será? Já quero ir direto ao ponto: Coisas não são suficientes para nos fazer felizes. Se Cristo não é suficiente para mim, nada mais será!

Vejo por aí um grande número de pessoas correndo contra o tempo para realizar seus sonhos e objetivos de vida - não que isso seja errado. O problema é pensar que a verdadeira felicidade se encontra na realização de tais coisas. É verdade que quando alcançamos ou adquirimos algo que tanto queríamos ficamos felizes, e isso é normal e natural.

Mas observemos que com o passar tempo toda aquela que felicidade que sentimos após termos conseguido o que tanto almejavamos desvanece e some como uma fumaça desaparece no ar. Por quê? Porque coisas não são suficientes para fazer o homem verdadeiramente feliz.  Um exemplo disso são os ricos. Os ricos possuem o que a maior parte das pessoas desejam: Dinheiro, segurança, bem-estar, etc... Não obstante, muitos deles são pessoas tristes, infelizes, depressivas e amarguradas que não encontram um sentido para suas vidas e, por causa dessa realidade, muitos acabam cometendo suicídio, abreviando assim a sua chegada ao inferno, ao lugar onde o fogo não se apaga e o verme não morre. (Marcos 9.44)

Concluímos então que ter tudo não é suficiente para tornar um ser humano feliz. Se isso fosse mentira, os ricos seriam as pessoas mais felizes do planeta; se isso fosse mentira muitos ricos não dariam cabo de suas vidas, pois não teriam motivos para isso.

Outro erro que o ser humano comete é pensar que um namorado/namorada ou qualquer outra pessoa é o que basta para ser feliz. Alguém pode pensar que não precisa de nada além de ter outra pessoa para ser feliz e compartilhar as aventuras da vida. Ah, quantos sonham em se casar! Quantas moças e rapazes estão em busca do casamento! Sim, o casamento é uma bênção, o próprio Deus, como sabemos, instituiu o casamento, logo, desejar casar não é errado, muito pelo contrário. Em Provérbios 18. 22 diz: Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do Senhor.

Então qual é o problema? O problema é pensar que um alguém é suficiente para me fazer absolutamente feliz; o problema é achar que o casamento é a única coisa no mundo que fará o homem ou a mulher o ser mais feliz do mundo só porque casou. Não me entendam mal. Acredito que você já entendeu o quero que você entenda.  O casamento entre duas pessoas que se amam trás profunda alegria e regozijo, sim. Um homem e uma mulher ao se casarem experimentarão uma alegria demasiadamente grande, isso é fato! Quando vamos a um casamento os noivos estão sempre felizes, não é mesmo?

Pois bem, o que quero que você entenda é que nem mesmo um cônjuge é suficiente para tornar alguém verdadeiramente feliz. Note que estou enfatizando o verdadeiramente, porque somente Cristo pode dar a verdadeira alegria.
Como mencionado acima, se Cristo não é suficiente na minha vida, nada mais será. Somente Cristo deve ser suficiente para nós. Cristo, o nosso Senhor e Salvador, é Supremo. Ele é superior e está acima de absolutamente todas as coisas. Tudo foi criado pelas mãos dele, somos salvos por meio dele. Mas, se apesar de tudo isso não o considero suficiente para mim, então o quê mais além dele será? Marido? Namorado? Filhos ou bem terrenos?  Nada disso se compara a Cristo, nosso Senhor, Salvador e Redentor!

Tudo o que existe na terra é inferior a Ele pelo fato de tudo ter sido criado por Ele, sendo assim, como pode algo inferior ser suficiente para mim? É porque o homem não conhece a Deus! 

Sim, podemos nos alegrar com aquilo que temos, mas nada se compara a Cristo. Nada, nada, nada se compara a Cristo. A pessoa que não tem nada, mas tem a Cristo, é infinitamente mais rica do que aquela que possui todo o dinheiro do mundo. Quando consideramos Cristo suficiente para nós, nada mais importa, visto  já termos tudo o que necessitamos; e Cristo Jesus, somente Ele, é tudo o que precisamos.

- Priscila Gomes da Silva